Brasil de Sucesso – 1ª Semana de Julho

Brasil de Sucesso -1ª Semana de Julho

Brasil de Sucesso – 1ª Semana de Julho

Abrimos o mês de Julho com novidades!

Em breve, começaremos outros tópicos e formatos de conteúdos aqui na Insert, e por isso, os artigos do Brasil de Sucesso passam a ser quinzenais!

Vamos lá?

Bovespa opera em alta, após EUA e China retomarem negociações

O principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo, a B3, opera em alta nesta segunda-feira (1), acompanhando o viés de praças acionárias no exterior, após Estados Unidos e China concordarem em retomar discussões, em novo sinal de pausa nas hostilidades comerciais entre as duas maiores economias do mundo.

Às 15h09, o Ibovespa subia 0,69%, a 101.660 pontos.

Os governos norte-americano e chinês concordaram no sábado em retomar as discussões comerciais, com os EUA suspendendo a imposição de novas tarifas sobre exportações chinesas, destaca a agência Reuters.

“Um acordo ainda não está selado, mas os dois países mostraram força de vontade mútua para acabar com o impasse e seguir em frente com as negociações”, disse o analista Ipek Ozkardeskaya, do London Capital Group.

No cenário doméstico, o foco continuou na tramitação da reforma da Previdência, com o mercado atento à possibilidade de o texto ser votado pelo plenário da Câmara antes do recesso parlamentar, que começa em 18 de julho.

Na sexta-feira, o Ibovespa subiu 0,24%, a 100.967 pontos e fechou o mês com alta acumulada de 4,06%. No primeiro semestre, a bolsa já subiu 14,88%.

Fonte: G1 – Economia

ONG recupera bikes paradas em prédios e dá emprego pra quem precisa

O que fazer com bikes que estão empilhadas, enferrujadas e quebradas em garagens de prédios e condomínios residenciais?

O Instituto Aromeiazero, uma organização paulistana fundada há 8 anos, transforma as bicicletas e dá emprego a quem precisa.

A ONG vai até o local, pega e recupera as bicicletas, adultas e infantis, para serem doadas.

Alunos em situação de vulnerabilidade social, como desempregados ou de baixa renda, inscritos em curso que mescla mecânica e geração de renda pelo meio de transporte sustentável são os responsáveis por dar cara nova as bicicletas.

Um trabalho de formiguinha desenvolvido pela equipe da Aromeiazero, que tem à frente o publicitário Murilo Casagrande Modolo, 37 anos.

“Nossa proposta é que mais pessoas possam ter acesso a tudo que a bicicleta gera de bom”, afirma.

Desde 2011, a ONG já recebeu mais de 1.000 bicicletas de doação, mas nem todas de condomínios.

Outras 3.721 foram consertadas, entre as aulas do curso de mecânica e as oficinas comunitárias oferecidas, principalmente em regiões de periferia da cidade.

Ofício

Desde 2016, o projeto Viver de Bike, um dos braços da Aromeiazero, possibilita que jovens e adultos de bairros periféricos de São Paulo possam sonhar com uma realidade bem diferente.

E aquela bicicleta, fruto de doação, funciona como ferramenta de transformação.

“A bike possibilita que pessoas da periferia, como eu, venham até o centro, onde há opções de cultura e de lazer”, diz o eletricista Paulo Alexandre da Silva, 31 anos, do Limão (zona norte), um dos 30 alunos inscritos no curso de mecânica e empreendedorismo.

Para chegar à oficina, no Arena Radical, na Vila Olímpia (zona sul), ele pedala 12 quilômetros.

Além da parte mecânica, os alunos têm 30 horas de economia corporativa e empreendedorismo.

A arquiteta e urbanista Viola Sellerino, de 35 anos, foi aluna na sexta turma do curso Viver de Bike, no início de 2018, época em que ganhava alguns reais quando surgiam paredes residenciais para pintar. Logo virou assistente do, então, instrutor. Hoje, ela é professora do projeto.

“Iam jogar a Amarela fora. Não dava nem mais para pedalar a bicicleta. Funcionava como o varal das camisetas molhadas”, diz.

E foi em uma oficina comunitária gratuita que teve as primeiras noções de mecânica e ali se apaixonou, além de conseguir revitalizar sua Monark Canyon, anos 1990.

“Nosso papel é fortalecer a cultura da bicicleta como um meio de geração de renda e de transformação social das pessoas com a cidade”, concluiu.

Fonte: Agora São Paulo

Preço médio da gasolina na bomba cai pela 7ª semana seguida, diz ANP

O preço médio da gasolina nas bombas terminou a semana em queda pela sétima vez consecutiva, de acordo com dados divulgados nesta sexta-feira pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) divulgados nesta segunda-feira (24).

O valor caiu 0,45%, para a média de 4,425 – uma redução de R$ 0,02 na comparação com a semana anterior. O número representa uma média calculada pela ANP com dados coletados em postos de diversas regiões. O preço, portanto, pode variar de acordo com o local pesquisado.

Nos primeiros 6 meses do ano, o preço da gasolina nas bombas subiu aproximadamente 1,86%.

O preço médio do diesel também terminou a semana em queda. O valor recuou cerca de 0,5%, para R$ 3,57, na quinta redução semanal seguida. Da mesma maneira que ocorre com a gasolina, o número é uma média calculada pela ANP e pode variar.

No primeiro semestre, o valor do diesel nos postos teve alta superior à da gasolina, de 3,44%.

Já o preço do etanol caiu 0,89% na semana, a R$ 2,778 por litro, em média. Foi a nona queda semanal seguida. No semestre, o valor do etanol para o consumidor teve queda de 1,59%.

A pesquisa também monitora o preço do botijão de gás de cozinha, que encerrou a semana custando, e média, R$ 69,15. O valor representa uma redução de 0,06% na comparação com a semana anterior, na quinta queda seguida. No primeiro semestre, o preço do gás caiu 0,08%.

Fonte: G1 – Economia

Projeto sobre Amazônia faz brasileiro ganhar prêmio internacional

Um biólogo que luta pela preservação do pirarucu na Amazônia, peixe fundamental para preservação do ecossistema, ganhou o prêmio Rolex Awards of Enterprise, de empreendedorismo.

João Campos da Silva é único brasileiro a ganhar o prêmio internacional, anunciado esta semana.

A cerimônia foi em Washington, EUA e os vencedores levaram um cheque de de 200.000 dólares – quase 800 mil reais – para o desenvolvimento do projeto, mais um relógio Rolex.

“O dinheiro é importante, claro, mas não é o principal. O mais legal de chegar entre os finalistas é o reconhecimento internacional, já que o júri é composto de cientistas renomados, e a possibilidade de conseguirmos novos financiamentos”, disse João.

O pirarucu hoje é meio de subsistência para as 60 comunidades que moram à beira do rio. O projeto do biológo é sobre o manejo sustentável do pirarucu.

Pelo porte, este peixe está no topo da cadeira alimentar e é em grande parte responsável pelo equilíbrio do ecossistema de boa parte dos rios da Amazônia.

Leia na íntegra direto na fonte.


Artigo produzido por: Maitê Sarchiolo – Analista de Comunicação e Marketing.
LinkedIn: Maitê Sarchiolo


E-mail: clientes@insertseguros.com.br

Telefone: (11) 2023-8890 | WhatsApp: (11) 9 9483-5149

Rua Tijuco Preto, 393, Cobertura, Tatuapé, São Paulo/SP – CEP 03316000

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *