Brasil de Sucesso – 3ª semana de Maio

Brasil de Sucesso - 3ª semana de Maio

Brasil de Sucesso – 3ª semana de Maio

O post de hoje é um pouco diferente dos outros. Além as notícias como de costume, trouxemos também um evento importantíssimo que acontece nessa semana: a Semana ENEF 2019!

6ª Semana Nacional de Educação Financeira 2019: A Semana ENEF!

É claro pra todos nós brasileiros que não existem muitos cursos sobre Educação Financeira disponíveis a nível nacional, sem nenhum tipo de custo, certo?

A falta da Educação Financeira é um mal que atinge a maior parcela dos cidadãos brasileiros. Não aprendemos na escola como sobre a economia, como podemos planejar e investir e nem como cuidar de nossas finanças.

Pensando nisso, a AEF Brasil em parceria com o Banco Central e diversas outras empresas do setor, realizam anualmente a Semana ENEF.

Dos dias 20 a 26 de maio, a Semana ENEF trará diversos cursos, palestras, workshops e atividades em muitas áreas de economia e finanças com acesso ao público e 100% gratuito!

Os conteúdos são digitais, mistos e presenciais e acontecerão em muitas cidades em todo o território nacional!

Para saber mais e acessar a agenda de cursos e palestras, acesse o site da Semana ENEF 2019.

Petrobras completa 17 dias sem reajustar preço da gasolina nas refinarias

A Petrobras informou que manterá o preço da gasolina nas suas refinarias nesta quinta-feira (16), completando 17 dias sem reajustes, de acordo com dados da petroleira compilados pela agência Reuters.

O preço médio atual do combustível fóssil vendido pela estatal às distribuidoras é de R$ 2,0450 por litro — maior valor desde 23 de outubro de 2018.

O valor médio não muda desde 30 de abril, apesar de regra lançada em setembro do ano passado, pela gestão anterior, que impedia a estabilidade do combustível por um período superior a 15 dias.

Questionada se a regra dos 15 dias foi cancelada, a Petrobras afirmou que a política de preços de gasolina mantém-se inalterada e tem como base o preço de paridade de importação.

“O prazo de até 15 dias de manutenção dos preços da gasolina refere-se ao período máximo de aplicação do mecanismo de hedge. Este mecanismo, de aplicação opcional, visa dar flexibilidade adicional à gestão da política de preços da gasolina”, disse a petroleira em nota.

Em abril deste ano, já na gestão de Roberto Castello Branco, a empresa chegou a completar 18 dias com a gasolina no mesmo patamar.

O preço médio do óleo diesel nas refinarias também foi mantido nesta quinta-feira, cumprindo a atual regra da Petrobras para esse combustível, que impede que haja reajustes em períodos inferiores a 15 dias. O diesel está congelado em R$ 2,3047 o litro desde 4 de maio.

A Petrobras tem afirmado que pratica preços de mercado, embora tenha aumentado os períodos sem reajustes. Para evitar perdas, a petroleira tem apontado a utilização de mecanismos de hedge (proteção contra oscilações inesperadas nos preços).

Fonte: G1

Lucro do BNDES cresce 436% e atinge R$ 11 bilhões no 1º trimestre

O BNDES registrou lucro líquido de R$ 11,1 bilhões no 1º trimestre, um crescimento de 436,7% na comparação com o mesmo período de 2018 (R$ 2,063 bilhões), segundo balanço divulgado nesta terça-feira (14).

Trata-se do maior resultado nominal (sem descontar a inflação) para um trimestre desde 2002, quando iniciou a série histórica do banco, num resultado impulsionado por receitas extraordinárias com a venda de fatias detidas em gigantes como Petrobras e Vale.

Segundo o banco estatal, o desempenho positivo foi influenciado pelo crescimento de 725,5% do resultado com participações societárias em relação ao mesmo período de 2018, que totalizou R$ 12,474 bilhões no 1° trimestre.

O lucro do banco foi sustentado principalmente pela venda de ações de empresas como Petrobras, Vale e Rede, além da alienação de 50% da participação do BNDESpar na Fibria, que foi incorporada pela Suzano no começo do ano. Só com esta última operação, foram contabilizados R$ 8 bilhões.

Os dados do primeiro trimestre mostram também a apuração de R$ 5,2 bilhões de tributos de conceito de competência e de R$ 7,1 bilhões no conceito de caixa.

Leia a matéria completa no G1.

Lucro da Cemig sobe 72% no 1° trimestre e alcança R$ 797 milhões

A elétrica estatal mineira Cemig reportou lucro líquido de R$ 797,2 milhões no primeiro trimestre, alta de 71,6% na comparação anual, em resultado impulsionado por suas vendas de energia e ganhos com operação de hedge.

Em balanço nesta quinta-feira (16), a companhia disse que o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) somou R$ 1,46 bilhão, expansão de 45,1% na comparação anual.

A companhia, que opera em geração, transmissão, comercialização e distribuição, disse que sua distribuidora Cemig-D teve um crescimento de 5,1% na venda de energia a consumidores finais no período.

A empresa teve ainda receitas financeiras de R$ 152,3 milhões decorrente de ganhos com operação de hedge relacionada a suas emissões de títulos no exterior (eurobonds). A receita líquida da Cemig somou R$ 5,9 bilhões entre janeiro e março, patamar 19,8% superior ao visto no mesmo período do ano anterior.

A elétrica afirmou que teve ganhos também com sua estratégia de venda de energia, que alocou maior volume para venda no primeiro trimestre, quando os preços da eletricidade estavam elevados no mercado spot. Com isso, as transações da subsidiária de geração e transmissão Cemig GT na Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) saltaram 112,94% ante o mesmo período de 2018.

A Cemig fechou o trimestre com dívida consolidada de R$ 14,1 bilhões, queda de 4,3% em relação ao final de 2018. Já os investimentos realizados pela companhia somaram R$ 227,8 milhões, enquanto a proposta de orçamento para o ano é de R$ 1,5 bilhão.

Fonte: G1.


E-mail: clientes@insertseguros.com.br

Telefone: (11) 2023-8890 | WhatsApp: (11) 9 9483-5149

Rua Tijuco Preto, 393, Cobertura, Tatuapé, São Paulo/SP – CEP 03316000

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *